By kolobsek

Mudar de país é provavelmente uma das decisões mais importantes que você vai tomar na vida. Tudo será novidade, principalmente a língua. E não estou apenas falando do inglês ou do francês, mas sim de toda a bagagem cultural que vem com o novo dialeto.

O curso de idiomas vai te ensinar o básico, mas é importante ir além. Investir em um aplicativo, ver filmes sem legenda, vídeos no youtube, ler notícias em sites estrangeiros. Enfim, tentar se concentrar ao máximo no dia a dia do seu futuro país, pois é ali que a língua realmente habita.

Deseja se preparar para viver no Canadá (ou nos EUA)? Então aqui vão 3 dicas para você mergulhar no idioma do seu futuro país:

3 dicas para mergulhar no idioma do seu futuro país

1. Navegue na cultura deles

Antes de embarcar, acostume-se a ver vídeos na sua futura língua, e a ler notícias locais do seu futuro país, estado e cidade todos os dias. Coloque um objetivo: assistir a 15 minutos de vídeo, ver um filme por fim de semana, ler duas notícias por dia. Navegue a internet como se você já estivesse lá.

Eu pessoalmente adoro assistir a canais do YouTube. É de graça e acessível de qualquer lugar do mundo. Alguns me ajudaram muito a aprender as expressões e as referências culturais da América do Norte:

The Onion

Resenhas de filmes, notícias fictícias e esquetes engraçados. Todos os vídeos são cheios de phrasal verbs e vão te ajudar a entender o humor norte-americano.

Vice

Documentários curtos – de até 30 minutos – sobre assuntos bem variados. Tem para todos os gostos e vários deles mostram assuntos importantes para sociedade daqui.

College Humor

Cheio de esquetes hilários e que vão te familiarizar com as expressões mais usadas em inglês coloquial.

2. Abaixe a guarda

Quando chegar, não tenha vergonha do quão pouco você sabe, nem se feche no orgulho de achar que já sabe o bastante. Pergunte, mostre interesse, esteja aberto ao novo. As pessoas vão simpatizar com você, e a maioria vai adorar poder te ajudar.

Vou ser sincera: no início, eu detestava ser corrigida. Estudei inglês desde os cinco anos de idade; eu achava que não precisaria aprender mais nada. Errado.

Mesmo me considerando fluente, eu ficava completamente perdida nas conversas com grupos de amigos, cheias de referências a filmes, personalidades e notícias que eu não conhecia.

Ao mesmo tempo, às vezes uma situação cotidiana me lembrava um episódio de Malhação, ou mesmo do Chaves, e eu ficava HORAS tentando explicar o porquê aquilo era engraçado. Até lá já tinha perdido a graça!

Desde que eu baixei a guarda e deixei de lado o orgulho, sempre aproveito a ocasião em que sou corrigida para perguntar mais e mais sobre a expressão ou a referência cultural por trás de cada situação. Já estou aqui há dois anos e todo dia aprendo algo diferente.

E não apenas espero meu marido, que é canadense, me corrigir. Eu mesma pergunto sobre seriados antigos que ele cresceu assistindo e eu não; sobre brinquedos que ele teve quando criança e eu não tive; sobre casos importantes que fizeram notícia ao longo dos anos em que eu não estava aqui.

O objetivo é expandir a minha nova “biblioteca” de referências culturais e linguísticas e me inserir mais e mais nessa nova vida social.

3. Misture-se!

Por mais que seja difícil se relacionar com as pessoas locais, resista à tentação de só fazer amizade com brasileiros. Para se integrar de verdade, é importante manter amizades com quem é daqui. Só assim você vai se familiarizar com a língua falada no dia a dia e aprender a navegar essa nova cultura.

Um amigo local vai ser importante para te ajudar na hora de montar seu currículo, escrever e-mails formais, responder a convites, ou simplesmente se comportar em tantas outras pequenas interações sociais.

Acredite, aqui é tudo diferente. Não se finaliza um e-mail com “abraços”, nem se deve incluir foto ou estado civil no currículo. Não se oferecem três beijinhos a um estranho que acaba de ser apresentado, nem se canta “Com Quem Será” depois do “Parabéns”. Sim, esses são alguns dos erros que eu mesma quase cometi, não fosse a ajuda da minha família canadense!

To sum up

Tente se lembrar que o idioma em si é apenas o ponto de partida para uma forma diferente de pensar, se relacionar e ver o mundo.

O valor de conhecer o passado e o presente cultural do seu novo país vai se mostrar a cada vez que você conhecer uma nova pessoa, que pode ser um possível empregador, um cliente em potencial, ou um professor da sua universidade.

Mostre que você não é apenas mais um imigrante, e sim um cidadão do mundo. Estar aberto ao que o país tem para oferecer pode ser um diferencial muito importante que vai te destacar e facilitar sua integração em seu novo país.