Dominar os verbos em inglês é essencial para que você forme frases em inglês. Aprender a usar os verbos é, provavelmente, um dos primeiros passos que você vai dar na gramática inglesa. Mas, naturalmente, para aprender os verbos em inglês também vale a pena usar uma abordagem inteligente. Por isso, reunimos neste artigo um guia completo sobre este assunto. Dos 20 verbos mais usados no inglês — essenciais, mesmo para quem está começando a aprender inglês — até o uso dos phrasal verbs, expressões baseadas em verbos, mas que ganham um sentido próprio.

verbos em inglês

Atualizado em 27.01.2021

  • Os 20 verbos mais usados em inglês (+ um guia completo sobre o assunto!)

    Assim como no português, os verbos em inglês são palavras usadas para indicar três coisas:

  • uma ação (falar, andar, etc)
  • o estado em que alguém ou alguma coisa se encontra (ser, estar, permanecer, etc)
  • ou uma mudança de estado (virar, tornar-se, etc). Naturalmente, essa categoria inclui um número imenso de palavras. Mas, se você está começando a aprender em inglês, vale a pena começar pelos verbos mais usados nesse idioma.

Quais os verbos em inglês? Comece pelos 20 mais usados

  1. To be [ser]

    I am
    you are
    he, she, it is
    we are
    they are

  2.  To have [ter]

    I have
    you have
    he, she, it has
    we have
    they have

  3.  To do [fazer]

    I do
    you do
    he, she, it does
    we do
    they do

  4.  To say [dizer]

    I say
    you say
    he, she, it says
    we say
    they say

  5.  To go [ir]

    I go
    you go
    he, she, it goes
    we go
    they go

  6.  To get [obter, conseguir]

    I get
    you get
    he, she, it gets
    we get
    they get

  7.  To make [fazer]

    I make
    you make
    he, she, it makes
    we make
    they make

  8.  To know [saber]

    I know
    you know
    he, she, it knows
    we know
    they know

  9.  To think [pensar]

    I think
    you think
    he, she, it thinks
    we think
    they think

  10.  To take [pegar]

    I take
    you take
    he, she, it takes
    we take
    they take

  11.  To see [ver]

    I see
    you see
    he, she, it sees
    we see
    they see

  12.  To come [vir]

    I come
    you come
    he, she, it comes
    we come
    they come

  13.  To want [querer]

    I want
    you want
    he, she, it wants
    we want
    they want

  14.  To look [olhar]

    I look
    you look
    he, she, it looks
    we look
    they look

  15.  To use [usar]

    I use
    you use
    he, she, it uses
    we use
    they use

  16.  To find [encontrar, achar]

    I find
    you find
    he, she, it finds
    we find
    they find

  17.  To give [dar]

    I give
    you give
    he, she, it gives
    we give
    they give

  18.  To tell [dizer, contar (uma história)]

    I tell
    you tell
    he, she, it tells
    we tell
    they tell

  19.  To work [trabalhar]

    I work
    you work
    he, she, it works
    we work
    they work

  20. To call [chamar, telefonar]

I call
you call
he, she, it calls
we call
they call

Verbos em inglês: o guia completo

Agora, confira nosso mini-guia com o que você precisa saber de mais importante sobre os verbos em inglês. Detalhamos, abaixo, a melhor abordagem para aprender os tempos verbais em inglês, o verbo to be, os verbos irregulares, os verbos modais e os phrasal verbs. De quebra, você também vai aprender como escolher a forma certa em duas situações que confundem muita gente. A escolha entre “to make” e “to do” e o uso do infinitivo e da forma terminada em “-ing”.

 

Como conjugar os verbos em inglês

Como você talvez tenha notado, a nossa lista com os 20 verbos mais usados do inglês traz todos eles no infinitivo (que é a forma que corresponde ao “nome” do verbo) e no presente. Mas, embora o presente seja útil até para falar do passado e do futuro, você certamente vai querer aprender outros tempos verbais em inglês.  A conjugação, na verdade, é uma habilidade essencial para quem quer ultrapassar o básico e começar a falar inglês melhor.

Assim como em português, em inglês também há diversos tempos verbais. Mas, como sempre, vamos começar nos concentrando nos mais usados. No caso do inglês, estamos falando do simple present,do present continuous, do present perfect e do simple past. Começar por estes tempos verbais tem duas vantagens.

A primeira é que eles são especialmente fáceis de aprender, e não apresentam grandes variações ou dificuldades. A segunda é que dominar estes tempos verbais fará com que você consiga se comunicar em inglês em menos tempo. Ou seja: eles representam aqueles 20% de conteúdo que você vai usar em 80% das situações, bem como nós gostamos, aqui no MosaLingua.

Preparado(a)? Então, mergulhe neste outro artigo publicado aqui no blog para descobrir como aprender os tempos verbais em inglês.

O verbo to be

Você provavelmente notou que a lista acima começa com o verbo to be, certo? Não… não foi por acaso! O verbo to be é um dos verbos mais importantes do inglês, e tem três características marcantes.

  • A primeira é que o verbo to be  é um verbo de significado duplo. Ou seja: em português, ele é traduzido não por um, mas por dois verbos: ser e estar.
  • A segunda é que, embora o “nome” do verbo seja esse, to bevocê nunca irá vê-lo nessa forma, e sim conjugado (no present perfect, no present continuous, etc).
  • O terceiro aspecto é que, assim como acontece no português, esse verbo tem tempos simples e tempos compostos.

Então, para não deixar escapar nada, confira aqui um artigo completo sobre o verbo to be, com usos e conjugação no presente, passado e futuro! E… com tabelas em PDF, que você pode baixar e salvar no seu computador, para consultar sempre que precisar.

Com a ajuda destas tabelas, será fácil observar uma outra característica do verbo to be. Ele é um verbo irregular. Eu sei… juntar as palavras “verbo” e “irregular” uma só frase é algo meio assustador! Especialmente quando se trata do inglês…

Mas, com as dicas que veremos a seguir, você vai descobrir que esse medo é totalmente infundado 😉

Como memorizar os verbos irregulares em inglês

Em inglês, a maior parte dos verbos usa a terminação “-ed” quando são conjugados no past participle (particípio passado) e no “past tense (pretérito perfeito). Por exemplo: “loved”, “visited” e “listened”. Já os verbos irregulares não seguem o mesmo padrão.

Esse é o caso do nosso já conhecido verbo to be, que no past tense é “was/were” e no past participle é “been“. Mas é o caso também de muitos outros verbos, já que hoje há mais de 370 verbos irregulares em uso no idioma inglês.

Embora memorizar os verbos irregulares em inglês exija uma certa decoreba, há três truques que podem facilitar muito esse processo:

    • Concentre-se nos verbos mais usados

      No dia-a-dia, você com certeza irá usar muito mais verbos como to begin (começar), to drink (beber) e to eat (comer) do que verbos como “to knit” (tricotar). Por isso, comece aprendendo os verbos de uso frequente; aqueles que normalmente são necessários para falar dos nossos hábitos, necessidades, sentimentos, etc.

    • Use a técnica do chunking

      Chunking” é uma técnica de memorização baseada em dividir a aprendizagem em “pedaços” para aumentar a retenção do conhecimento. Para usá-la, você deve criar grupos que apresentem características semelhantes, a partir do conteúdo que precisa memorizar.

      No caso dos verbos irregulares, há várias formas de fazer isso. Você, por exemplo, aprender juntos os verbos que (embora sejam irregulares), não mudam, como é o caso de “to hit” e “to run“. Ou, ainda, os verbos que sejam conjugados da mesma forma tanto no pretérito quanto no particípio passado, como “to keep” e “to dream“.

    • Encontre os padrões de pronúncia

      Outra forma inteligente de agrupar verbos irregulares que você quer aprender, para facilitar sua memorização, é se concentrar na pronúncia. Um grupo possível seria, por exemplo, “capitaneado” pelo verbo “to begin“. Você pode associá-lo a cinco outros verbos parecidos com este, em termos de pronúncia.  Estamos falando dos verbos “to drink“, “to ring“, “to sing“, to sink” e “to swim”. Para todos esses verbos, use o recurso mnemônico “i-a-u”. Ou seja: o “i” no infinitivo é substituído por um “a” no pretérito e por um “u” no particípio passado.

      Para mais detalhes sobre estes e outros truques que vão ajudar você a memorizar os verbos irregulares em inglês, consulte também este outro artigo (e os vídeos disponíveis nele!)

Quantos são os verbos irregulares em inglês?

A resposta curta a esta pergunta é: muitos! E, para aprender os verbos irregulares do inglês, não há outra saída se não decorar… mas isso não quer dizer que não possamos fazer isso do “jeito MosaLingua”, certo? Por isso, comece baixando o e-book que criamos para facilitar sua vida.

Ele reúne, em um arquivo pdf, não apenas os verbos irregulares mais usados hoje, no inglês, mas também seu uso e significado. Para baixar o seu, basta clicar aqui!

 

Os verbos modais em inglês

Em inglês, os principais verbos modais são sete.  Can, could, may, might, should, must, ought to. Estes verbos são invariáveis, portanto, não mudam, não têm infinitivo e se comportam como verbos auxiliares. Assim como acontece no português, a função dos verbos modais em inglês é expressar quatro situações:

  • permissão

Em inglês, usamos quatro verbos modais para expressar uma permissão. Can, could, may e might que, neste caso, podem ser traduzidos como “poder”.

  • possibilidade

Estes mesmos quatro verbos são usados para  expressar uma permissão: can, could, may ou might. A escolha entre eles depende do grau de probabilidade daquilo a que o verbo se refere. Entre esses quatro, can se refere àquilo que é mais provável, e might aquilo que é possível, mas menos provável.

  • obrigação (ou conselho)

Quando queremos nos referir a uma obrigação, usamos must, have to, should, ougth, had better. Sendo que have to e had better são considerados verbos que podem ser usados com sentido modal.

Todos estes verbos podem ser traduzidos como “dever/precisar”.  No entanto, must e have to são usados para dar uma ordem. E should e ought to são usados para dar um conselho.

  • proibição

Três destes verbos, na sua forma negativa, expressam uma proibição. Do mais forte para o menos forte, você pode escolher entre: must not, may not e cannot.
Para saber mais sobre a negação e a conjugação dos verbos modais em inglês, consulte este outro artigo do nosso blog.

Os phrasal verbs: os verbos frasais em inglês

Embora os phrasal verbs sejam um assunto um pouco mais avançado, vale a pena você saber do que se trata. Isso, porque os verbos frasais são expressões muito usadas no dia-a-dia e, portanto, é natural que você se depare com eles em muitas situações.

Para uma lista completa dos phrasal verbs mais usados no inglês, confira este outro artigo. Mas, só para dar alguns exemplos, estamos falando de call off, get out, give up e go out, por exemplo. Os phrasal verbs, portanto, são expressões formadas por um verbo que, quando acompanhado por determinadas preposições ou advérbios, ganha um novo significado. Na prática, eles equivalem aos idioms, as expressões idiomáticas do inglês.

Esse novo significado pode ser totalmente diferente do sentido original do verbo ou ser uma extensão desse sentido. O verbo to get por exemplo, significa receber, obter, pegar. Mas os phrasal verbs formados com ele podem adquirir um sentido totalmente diferente. Para citar apenas alguns, esse é o caso por exemplo de:

  • Insinuar: get at
  • Voltar: get back
  • Dar uma bronca: get onto
  • Superar: get over
  • Terminar, acabar: get over with

Phrasal verbs: separáveis e inseparáveis

Nela, temos o phrasal verb “put off”. Mas e aquele “it” que apareceu ali? “It“, neste caso, está substituindo “our meeting” (nosso encontro). Neste caso, então, estamos diante de um separable phrasal verb. Ou seja: um verbo frasal cujos termos podem ser separados. Na nossa frase de exemplo, podemos dizer “We have to put it off“, ou ainda “We have to put our meeting off“, e ela continua correta.

Agora, vamos analisar agora o phrasal verb “look out for”. Então, vejamos a frase de exemplo Look out for the dogs! (Cuidado com os cães!)

Nesse caso, essa é a única construção possível. Não podemos dizer “Look for the dogs out” ou “Look out the dogs for”. Isso porque se trata de um inseparable phrasal verb. Ou seja: as três palavras que formam este verbo frasal não podem ser separadas. Para fazerem sentido, elas precisam estar juntas, sem nenhuma outra palavra inserida entre elas.

 

BÔNUS: as dúvidas mais comuns no uso dos verbos em inglês

Para completar nosso guia, vamos nos dedicar também a duas das dúvidas mais comuns entre os estudantes quando o assunto são verbos em inglês. Estamos falando da escolha entre o infinitivo (to do, to play, do dance) e do gerúndio, a forma “ing” do verbo (doing, playing, dancing). E também da escolha entre “to do” e “to make”.

“To” ou “ing”: como escolher

    1. Como regra geral, usamos a forma “ing” para verbos que expressam conceitos mais abstratos. Verbos como “consider”, “feel like”, “deny”, “fancy” e “miss”, por exemplo. Já para verbos usados para expressar ações concretas, a escolha certa normalmente é a forma “to” (ou seja, o infinitivo). Este é o caso, por exemplo, de verbos como “ask”, decide”, “plan”, “want”.
    2. Outra dica para escolher a forma correta é lembrar que a forma “ing” geralmente é usada depois de uma preposição. Vejamos alguns exemplos:
      Are you good at siging? (Você tem talento para cantar?) = como temos a preposição “at”, vamos usar a forma “ing”.Were you home when it started raining? (Você estava em casa quando começou a chover?) = como temos a preposição de tempo “when”, usaremos a forma “ing”You should do your homework before start playing (Você deve fazer sua lição de casa antes de começar a brincar) = como temos a preposição de tempo “before”, vamos usar a forma “ing”.
    3. Uma terceira dica para ajudar na escolha entre o “to” e o “ing” depende das funções que as palavras desempenham em uma frase. Em geral, quando a palavra em questão é o sujeito da frase ou seu complemento, usamos a forma “ing”. Vejamos dois exemplos:“My favorite hobbie is cooking”. Nesta frase, “cooking” é o complemento, e poderia ser substituída por um substantivo. “Reading at night hurts my eyes”.  Aqui, “reading” é o sujeito da frase, e poderia ser substituída por um substantivo.  
    4. Há situações em que as duas formas são intercambiáveis. Normalmente, é possível usar qualquer destas formas com verbos que expressam sentimentos, como like, love e hate, por exemplo. Então, você tanto pode dizer, por exemplo “I love to read” quanto “I love reading“.
VIDEOAULA: o infinitivo X “-ing”

Para saber mais, confira a videoaula que a Abbe, nossa professora de inglês, gravou para ajudar você a escolher a forma correta. O áudio está em inglês mas, se desejar, você pode habilitar as legendas. Para fazer isso, basta clicar no ícone da engrenagem, no canto inferior do vídeo.

 

“To make” ou “to do”: como escolher

Outra dúvida constante no uso dos verbos em inglês é a escolha entre “to make” e “to do“.  Até porque, para nós nativos no português, há apenas um verbo que traduz estes dois: fazer. Felizmente, há um truque gramatical que pode ajudar você a fazer a escolha certa. Basta perguntar pra você mesmo se a ação sobre a qual você quer falar está criando algo novo.

Se a resposta for sim, você deve usar o verbo “to make“.  Se a resposta for não, use “to do“.

Uma outra possibilidade, quando mesmo com esse truque você não tiver certeza, é contornar a escolha. Ou seja, se você não tem certeza se deve dizer “to make a cake” ou “to do a cake“, pode simplesmente dizer “I’m going to bake a cake“. Ou, na dúvida entre “make a decision” ou “do a decision“, dizer “I’m going to decide“.

VIDEOAULA: “make” X “do”

Para ir mais longe, confira estes e outros conselhos que a Abbe lhe dá para escolher entre to do e to make, na hora de formar suas frases. O vídeo, como de costume, está em inglês, mas há legendas disponíveis em inglês, português e mais quatro idiomas.

Então, para aprender mais, basta clicar no Play. Ou, se preferir, você também pode assistir a este vídeo diretamente em nosso canal no YouTube.

Conclusão

Para você ir ainda mais longe, confira também: