Estou muito feliz por ter conseguido obter essa entrevista com Benny Lewis. Para aqueles que se interessam por línguas e viagens, Benny é a estrela dessa área. É um pouco como conseguir entrevistar  Mick Jagger para aqueles que gostam de rock 😉 Nesta entrevista, você vai descobrir o método que Benny usa para aprender uma língua em 3 meses, bem como suas outras astúcias.

Olá, Benny! É uma grande honra ter você aqui conosco. Eu sigo seu trabalho há mais de 3 anos graças a seu famoso blog  fluentin3months.comSeu percurso é realmente inspirador e motivante. Você é irlandês, mas viaja sem parar pelo mundo há mais de 10 anos, trocando de país, em média, a cada 3 meses.  Mas o mais impressionante é o fato de você falar fluentemente mais de 8 línguas, sem contar outras 6 línguas que você aprendeu, mas nas quais não é fluente. É isso mesmo?

Benny en Chine (il parle aussi le Mandarin)
Benny na China (ele também fala mandarim)

Sim, o número de línguas que eu falo muda de acordo com quando me perguntam e como definem o termo “falar”. Mas o número é mais ou menos esse!

Impressionante! Você acha que tem capacidades especiais para aprender línguas?

Benny n'aimait pas les cours de langue à l'école
Benny não gostava dos cursos de inglês da escola

Certamente que não! Fiz alemão durante cinco anos na escola e era apenas capaz de passar nos testes. Também fiz curso de gaulês durante dez anos e sempre fui incapaz de formular frases das mais elementares!

Após obter um diploma de engenheiro eletrônico, eu me mudei para a Espanha e vivi por seis meses lá sem ter aprendido nada de espanhol! Infelizmente, algo típico para os anglófonos.

Eu não tenho o talento natural. O que mudou para mim é que parei de criar desculpas e tomei a difícil decisão de aprender a falar uma língua, apesar de toda a frustração associada a isso.

Poderia nos contar as etapas que você segue quando aprende uma nova língua?

Eu falo a língua desde o primeiro dia. Ou seja, eu adquiro um pequeno guia de conversação (geralmente, da Lonely Planet ou Assimil) e aprendo os fundamentos, como “Onde ficam os banheiros?” ou “Quanto custa isso?”, e algumas perguntas de conversação básica para solicitar o nome de alguém ou saber como ele ou ela está.

phrasebook_28

Em seguida, eu me coloco em contato com interlocutores nativos, geralmente via Skype, e começo a usar o que eu aprendi. Se possível, faço isso evitando falar inglês (ou outra língua) durante toda a sessão, mesmo se isso tornar a conversa muito lenta, já que eu preciso, geralmente, conferir o dicionário.

Isso, certamente, não é uma experiência muito agradável e pode ser algo bastante cansativo! Mas isso me impulsiona a realmente utilizar a língua. Com a prática constante, combinando esse gênero de prática oral a um pouco de estudo, consigo chegar a um nível conversacional (B1). Para o nível B2, preciso melhorar meu nível estudando a gramática. Para chegar ao nível C2, é preciso se preparar para passar esse exame e utilizar as técnicas tradicionais de estudo.

É o contrário do que grande parte das pessoas faz — estudo acadêmico antes de atingir um certo nível. Para mim, esta técnica é melhor mais tarde, quando você já tem bases sobre as quais trabalhar.

Sim, aprender o mais útil primeiro, para poder utilizar a língua mais rapidamente. É esse o gol do MosaLingua. Mesmo insistindo no fato de que isso demanda muito trabalho, sei que você também gosta bastante dos recursos para aprender uma língua com mais rapidez.  

Poderia compartilhar conosco algumas dessas astúcias?

12Além de começar a falar já a partir do primeiro dia, eu também utilizo o Anki  (um app para smartphone e computador). Ele permite a memorização fácil de vocabulário.

Eu também utilizo a técnica de associação. Por exemplo, quando eu estava aprendendo francês, associei a palavra “gare” (estação)  ao desenho animado Garfield, imaginando o personagem passando por uma estação de trem. Isso me ajuda a memorizar palavras mais rapidamente.

A maioria dos meus outros recursos é de ordem psicológica e corresponde à aceitação dos erros como parte do processo natural de aprendizagem e a deixar a outra pessoa à vontade comigo enquanto aprendiz, para mantê-la se comunicando na língua que está aprendendo. Esses “recursos” não podem ser comprados nem baixados!

Estamos realmente em sintonia. Talvez você não saiba, mas foi seguindo seus conselhos que decidi criar os aplicativos MosaLingua. Eu utilizei o mesmo sistema de repetição espaçada do Anki (SRS) para criar aplicativos de uso mais simples, com vocabulário selecionado com base na frequência de utilização e nas frases elementares (guia de conversação). MosaLingua também conta com registros em áudio e funções suplementares ligadas à aprendizagem de línguas. Que pena que você já sabe falar as línguas que oferecemos através do MosaLingua, pois adoraria receber seu feedback. 

Uma pergunta que muitos usuários nos fazem: você acha que a aprendizagem da gramática é útil? Se sim, em que momento?

31Na minha opinião, a aprendizagem da gramática tem um objetivo muito preciso: melhorar a sua capacidade de se exprimir claramente. Nesse sentido, ela não serve para os iniciantes, pois estes não têm nada para submeter a essa gramática.

Eu recomendo aprender muito pouca gramática nos níveis A1 e A2. Os erros referentes a palavras e à conjugação não vão emperrar a comunicação e, portanto, não são prioridades.

Mais tarde, quando você alcançar o nível B1, será muito mais lógico “ordenar” corretamente o que você aprendeu, de modo a poder se exprimir claramente, de uma maneira mais sofisticada. Além disso, graças à experiência, você poderá entender a lista inumada de regras de gramática em seu contexto e, assim, aprender essa lista de modo muito mais rápido e fácil!

Concordo totalmente com você mais uma vez.

Como você faz para falar uma língua desde o primeiro dia, quais conselhos você daria aos que não ousam falar a língua que aprendem?

Nosso medo de que pessoas vão rir da gente por falar mal uma língua estrangeira não tem fundamento. Os interlocutores nativos são muito pacientes!

Além disso, acho que muitos entre nós são perfeccionistas e pensam que o mundo vai para se cometermos um erro. Uma das minhas astúcias psicológicas consiste em ter como objetivo cometer, no mínimo, 200 erros por dia! Não tenha medo de cometer erros, porque a língua é um meio de comunicação e existe para exprimir uma ideia. Enquanto aprendiz iniciante, você não deve se preocupar com a ideia de se exprimir usando boas palavras e boa gramática. Ria de você mesmo se falar como o  Tarzan! A melhor maneira de passar pela frustração é não a considerar frustrante!

17Hehe, sim, é preciso não ter medo de cometer erros. É assim que aprendemos.

E quais são, para você, os melhores recursos da internet para progredir no aprendizado de línguas?

Particularmente, acho que a melhor maneira de aprender no mundo é passando mais tempo com outros seres humanos. Por isso, eu adoro os recursos que nos conectam com outras pessoas. Por exemplo, meu site preferido para intercâmbio linguístico ou para encontrar tutores é o italki.com.
Você também pode visitar fóruns de línguas (como este do meu blog) para encontrar pessoas com as quais falar.

Além disso, a melhor coisa que você pode fazer on-line é consultar materiais na língua que você está aprendendo, através de blogs, vídeos e áudios no idioma em questão. Não há apenas um só  recurso, basta utilizar aqueles que os nativos utilizam: quadrinhos on-line, notícias, comunidades bacanas da internet, entre outros.

Muito obrigado, Benny, por nos conceder um pouco do seu tempo. 

Mais uma vez, eu lhe aconselho a, realmente, ler o  site do Benny. Ele está em inglês, mas isso vai lhe ajudar a praticar a língua  😉

O que você achou do Benny? Já conhecia seu trabalho? Não deixe de postar sua resposta na seção de comentários abaixo.