Talvez você já tenha visto demonstrações de pessoas que têm uma capacidade de memorização impressionanteou, quem sabe, você admire poliglotas que falam mais de 10 idiomas fluentemente, mas ache que esse tipo de coisa não é para você, pois sua memória não é lá muito boa. No entanto, o cérebro é a principal ferramenta para o sucesso de sua aprendizagem. E saber aprender é o que diferencia poliglotas de pessoas comuns. Continue lendo e conheça truques e técnicas profissionais para dobrar ou triplicar a velocidade com que você memoriza novos conhecimentos.

memorização

Atualizado em 15.10.2020

Este artigo resulta de inúmeros testes e leituras realizados por mim e pelo Luca. Nós  decidimos compartilhá-lo aqui porque o nosso objetivo é ajudar o máximo de pessoas a aprender uma nova língua. Se você experimentar, pelo menos, metade das técnicas de memorização que apresentamos, já vale! Garanto que vai melhorar sua capacidade de memorizar vocabulário (ou qualquer outra coisa) drasticamente.  No entanto, já vou avisando: o conteúdo é denso. Isso porque todos os pontos abordados são resumos de muitos livros e métodos.

Mas antes de descobrir esses surpreendentes truques e técnicas que vão otimizar a sua capacidade de memorização, você precisa entender por que eles funcionam. Afinal, ninguém gosta de realizar ações sem compreendê-las. Para isso, vamos ver como funciona nosso cérebro e, portanto, nossa memória.

Memorização: como aprender vocabulário e nunca mais esquecer

Para facilitar sua vida, o Luca resumiu isso tudo em 5 truques que ele compartilha no vídeo abaixo. Depois de assistir ao vídeo, siga lendo, para mais detalhes sobre cada uma dessas técnicas. O vídeo está em inglês, mas oferece legendas em português, inglês e mais quatro idiomas. Para habilitá-las, basta clicar no ícone da engrenagem, no canto inferior direito do vídeo e, em “subtitles“, escolher o idioma.

Se preferir assistir ao vídeo direto em nosso canal no Youtube, basta clicar aqui!

O segredo da memorização: entendendo como funciona nossa memória

Fique tranquilo, apesar de eu achar esse assunto fascinante, vou simplificá-lo para você e não vou entrar em muitos detalhes.

A rede de neurônios

Nosso cérebro é  constituído por uma enorme rede de neurônios. Estamos falando de centenas de milhares de células! Os neurônios têm a capacidade de transmitir sinais elétricos e químicos entre si. Cada um dos neurônios é capaz de conectar-se a dezenas de milhares de outros neurônios. Imaginem quantas combinações são possíveis! Estas redes neurais são mais poderosas do que o computador mais avançado. Ou do que o número de dispositivos conectados à Internet. Sim, é difícil demonstrar esses números, mas é isso tudo que está presente em seu cérebro.

Então, não pense que você não tem espaço em seu cérebro para aprender uma nova língua. Ou que você está velho demais para aprender. Lembre-se dos poliglotas de todas as idades, que falam mais de 10 línguas e que estão sempre aprendendo coisas novas. 🙂

É importante entender que os neurônios não param de se conectar e se desconectar a milhares de outros neurônios.  É assim que seu cérebro e sua memória  funcionam. Essas ligações podem ser mais ou menos fortes, mais ou menos abundantes.  É por isso que o seu cérebro funciona bem através da associação de ideias.  Em termos de memória, o que acontece? Podemos dizer que, quando você aprende uma nova palavra, formam-se numerosas e fortes conexões em seu cérebro. Isso faz com que os caminhos neurais para acessar essa palavra sejam bem curtos, ou seja, bastante rápidos.

O poder da associação como técnica de memorização

Se eu disser a você “uma estátua do cristo no alto de um morro”,  por exemplo. Você vai pensar rapidamente no Cristo Redentor. E eu poderia fazer o mesmo com outras palavras. E se você pensar no Cristo Redentor, talvez faça outras associações. Associações de ideias relacionadas a este monumento do Rio de Janeiro.  Memórias de uma viagem feita para o Rio e emoções podem ressurgir…

No entanto, é importante salientar que as conexões entre os neurônios enfraquecem se não forem usadas regularmente. É por isso que dizem que o cérebro joga fora aquilo que não usa. Minha avó tem Alzheimer, uma doença terrível. Felizmente, um estudo demonstrou que a aprendizagem de uma nova língua diminui o risco de contrair essa doença. Além disso, ajuda o cérebro a permanecer ativo.

Isso também explica a razão pela qual esquecemos uma palavra recém-aprendida rapidamente se não a utilizarmos. Afinal, as conexões neurais usadas para armazenar essa palavra em sua memória vão enfraquecer rapidamente e, então, desaparecer. (Veja nossos artigos sobre a curva do esquecimento e sobre o Sistema de Repetição Espaçada.)

Agora, sabendo de tudo isso, como você pode aprender o vocabulário de uma nova língua sem perder muito tempo?

 

Antes de continuar sua leitura, gostaríamos de lhe oferecer, gratuitamente, nossos 6 guias de conversação, que contêm o vocabulário indispensável para quem deseja aprender idiomas. Enviamos os guias (disponíveis em 6 línguas) diretamente por e-mail. Aproveite:

Como aprender vocabulário com eficácia

Reativar o conhecimento através do espaçamento das revisões

Esta é, talvez, uma das noções mais importantes deste artigo: de nada adianta repetir 10 vezes, de uma só vez, uma palavra para memorizá-la. É melhor realizar 10 repetições espaçadas no tempo. Claro, as repetições variam conforme a palavra e o nível de dificuldade.


Por exemplo
: uma primeira repetição 10 minutos depois de aprender a palavra, outra após 8 horas, outra após 24 horas, outra após 3 dias etc.

Essa técnica permite o registro de vocabulário em sua memória de longo termo usando pouco tempo para memorizá-lo.  Há inúmeros estudos que confirmam essa premissa. MosaLingua utiliza o sistema SRS (desenvolvido por cientistas), que calcula um plano personalizado para suas revisões, em função de sua memória e de suas dificuldades em aprender cada uma das palavras. Atualmente, este é o sistema mais eficaz para a aprendizagem de vocabulário que existe. Por isso, eu lhe aconselho a ler os nossos artigos sobre  a curva do esquecimento e   o método de repetição espaçada. Não deixe também de saber um pouco mais sobre o método MOSA Learning ®

Aprenda o vocabulário mais útil primeiro (listas de frequência)

É muito importante se basear na frequência de utilização das palavras para aprender vocabulário. Afinal, por que aprender palavras e frases que não são muito (ou nada) utilizadas – embora estejam presentes, às vezes, em materiais escolares?

Por exemplo: se você souber  100 palavras da língua inglesa desta lista, vai compreender 50% dos textos escritos no idioma. Bem, evidentemente, a lista é também bem limitada, de modo que aconselho você a aprender mais que 100 palavras. De qualquer forma, isso demonstra a força desses tipos de lista.

Graças a tecnologias de informação, numerosas listas de frequência foram criadas. Aqui está, por exemplo, uma boa lista de palavras organizadas por frequência e representativas da linguagem usada atualmente: http://en.wiktionary.org/wiki/Wiktionary:Frequency_lists. (Agradecimento ao projeto Wiktionary.) Algumas dessas listas foram criadas a partir de milhares de legendas de filmes e séries de TV que podemos encontrar na internet. Em espanhol, por exemplo, foram utilizados 6 527 filmes e séries de TV, totalizando  27 417 111 palavras.

Evidentemente, nossos aplicativos para aprender idiomas se baseiam nas listas, de modo a lhe propor o vocabulário mais útil, ou seja, aquele que você precisa aprender primeiro. Aprendendo 20% que servem para 80% dos casos (Lei de Pareto), você pode aprender uma língua consagrando o mínimo de tempo possível aos estudos.

Truques de memorização

A repetição espaçada permite, na maioria das vezes, que o aprendiz aprenda rapidamente, e sem esforço, um novo vocabulário. Porém, algumas palavras e frases podem parecer difíceis de memorizar. Para isso, existem técnicas bem eficazes para gravar informações em nossa memória. 

Raciocínio por meio de imagens

Todos os grandes especialistas em mnemônica e outros gênios da memória concordam em um ponto: a criação de imagens mentais facilita enormemente a memorização. Se você precisa lembrar de uma informação, tente associá-la a uma imagem familiar.  No domínio da aprendizagem de línguas, quando você aprende novas frases ou novo vocabulário, é importante associar tais informações a imagens mentais. Por exemplo, se você tiver de lembrar da palavra francesa “soleil” (sol), sua chance de memorizar a palavra aumenta significativamente se você associá-la a uma representação mental do sol.

Como criar imagens mentais que colaborem na memorização?

Muitas vezes, é útil vislumbrar imagens específicas, pois você pode formá-las através de características peculiares, o que ajuda na memorização. Uma imagem mental eficaz tem as seguintes 4 características: exagero, movimento, associação incomum e implicação emocional.

  • Exagero

    Uma boa imagem mental deve ser exagerada. Isso significa que ela deve ter dimensões e proporções incomuns para você.  Se quisermos memorizar a palavra francesa “pied” (pé), por exemplo, podemos pensar num homem que possui  um pé muito maior do que o outro (quando criança, eu adorava fazer esse tipo de desenho). Já se quisermos aprender a palavra italiana “unghia” (unha), podemos imaginar uma mulher cujas unhas são tão longas que tocam o chão. Vai ser difícil esquecer essas imagens!feet-482588_1280

  • Movimento

    Nossa atenção é estimulada mais por coisas em movimento que por coisas estáticas: é por isso que imagens em movimento são melhor registradas em nosso cérebro e, por essa razão, são mais difíceis de esquecer. Se quisermos memorizar a palavra espanhola “coche” (carro), é melhor imaginar um carro em movimento. Já se quisermos lembrar da palavra francesa “pierre” (pedra), podemos pensar em uma pedra que rola sem parar.

  • Associação incomum

    Grupos de pessoas e de objetos que costumamos associar uns com os outros são comuns e, portanto, prendem menos nossa atenção. Agora, um grupo de elementos que você não costuma realizar associações  pode surpreender e, consequentemente, ser processado por seu cérebro com mais força.  Imagine um homem pelado em um banco, local onde todos usam terno e gravata. Esta é uma associação totalmente incomum, que desafia a nossa lógica. Isso torna a imagem bastante marcante e… facilita a memorização.

Quer exemplos de como memorizar algumas palavras? Para memorizar a palavra francesa “livre” (livro), pense em um gato lendo um livro, que ele segura com suas patas. Já para lembrar da palavra italiana “occhiali” (óculos), pense em alienígenas usando óculos! Eu recomendo que você experimente essa técnica e pense nela como um jogo. Pode ser muito divertido!

reading-498102_1280

  • Implicação emocional

    É extremamente difícil esquecer lugares ligados a uma experiência intensa ou associados a momentos de felicidade ou tristeza. Muitas vezes, ficamos surpresos ao  lembrar detalhes minuciosos dessas memórias, enquanto que podemos passar, todos os dias, em frente a um prédio sem que notemos sua cor ou seu número de andares.
    As emoções desempenham um papel muito importante na memória. Por exemplo, se você já era jovem ou adulto quando ocorreu o 11 de Setembro, certamente lembra o que estava fazendo no momento em que soube do ocorrido. Isso porque esse evento possui um apelo emocional forte.
    É por isso que cada vez que eu aprendo a palavra “cão” em um novo idioma (por exemplo,  “dog” em inglês), associo esta palavra à Laika, uma cadelinha que tinha quando criança.

 Nota: As imagens mentais são mais eficazes se você imaginá-las por conta própria. Quanto mais pessoal, mais fácil de recordar. O ato de evocar uma imagem mental também vai ajudá-lo(a) no processo de memorização.

Criar histórias divertidas a partir de palavras

Eu utilizo, com frequência, este método para memorizar palavras difíceis, bem como falsos amigos. Para garantir que não vou esquecer a palavra, crio uma pequena história em torno dela.

Por exemplo, eu tinha dificuldade de me lembrar que  «jubilación» significa «aposentadoria» em espanhol. Imaginei, então, um grupo de idosos cantando, gritando alto e segurando taças de champanhe e salgados para comemorar a aposentadoria. Agora, cada vez que penso na palavra aposentadoria, imagino esta cena divertida, e a primeira coisa que me vem à cabeça são os felizes aposentados!

Quanto mais pessoal, maluca ou até grotesca, mais eficaz sua história será como recurso mnemônico. Nossa imaginação não tem limites. Portanto, a cada dificuldade, nós podemos inventar nossa historieta engraçada pessoal…! Ficou com vontade de se aprofundar nessa técnica? Então, sugiro que você leia este outro artigo meu. Ele traz diversos exemplos concretos de como aplicar esta técnica de memorização supereficaz.  

Criar ligações e relações entre palavras

Lembre-se do funcionamento de nosso cérebro. Ao aprender novas palavras, é interessante encontrar ligações entre palavras que já conhecemos e palavras recém-aprendidas; ou então aprender novas palavras que tenham algum tipo de relação entre si. Por isso, aprender vocabulário por categoria (viagem, saúde, alimentação etc.) é outra técnica que facilita muito a memorização.

Geralmente, encontramos até mesmo raízes em comum: por exemplo, em alemão, podemos associar  « Krankenhaus » (hospital) a « Krankenschwester » (enfermeiro) ou perceber que todas as palavras que terminam em «-zione » em italiano, terminam em « -tion » em francês, « -ción » em espanhol e « -ção » em português (ex.: distribuzione, distribution, distribución, distribuição).

Associar conceitos a palavras é um método eficaz para explorar a lógica e o raciocínio e, assim, memorizar melhor e por mais tempo. É uma daquelas ferramentas de aprendizagem disponíveis apenas para o público mais adulto,  já que crianças pequenas não podem criar esse tipo de associação.

Desconstruir as palavras

Outro método interessante e eficaz que colabora para a memorização de vocabulário é o de estudar ou “desconstruir” a estrutura de uma palavra ou frase. Várias línguas possuem similaridades com o português. Isso ajuda vários pesquisadores a desconstruir palavras em língua estrangeira e verificar suas similaridades com o português. Essas palavras semelhantes são numerosas, sendo que algumas são idênticas (como dormir ou servir em espanhol). Outras podem ser desconstruídas, de modo a revelar sua raiz (como a palavra bank, que em português significa banco).

Como você pode ver, não é preciso estudar latim ou linguística para notar as semelhanças entre uma língua e outra. Além disso, não se preocupe caso sua maneira de “desconstruir” seja criticada por um linguista. O essencial é que esse método ajude você na memorização da palavra estudada.

E as associações são possíveis, igualmente, entre línguas bastante diferentes da nossa: em alemão, nós podemos desconstruir, por exemplo, a palavra « Krankenhaus » (hospital). Ao descontruir a palavra, temos « kranken » (sofrer) e « haus » (casa), ou seja, a casa daqueles que sofrem. Assim, fica mais fácil não esquecer!

Se esse tipo de dica lhe interessa, você pode também ler o artigo Conselhos para memorizar informações difícieis (texto em inglês).

Imagine-se numa situação na qual você vai usar as palavras aprendidas

É muito importante aprender palavras e frases comuns, pois elas vão ser úteis e bastante utilizadas. Caso contrário, você vai esquecê-las rapidamente. Você certamente já percebeu que é mais fácil memorizar coisas pelas quais somos apaixonados ou que vão ser úteis num futuro próximo, certo? Ao aprender uma língua, você não deve se concentrar na memorização de frases ou vocabulário que sejam pouco úteis. É por isso que, no MosaLingua, trabalhamos exaustivamente para selecionar e classificar o vocabulário e as expressões mais usadas (organizados por frequência de uso). Além disso, a qualquer momento, você pode parar de aprender um determinado flashcard, se achar que não vai ser útil para seu aprendizado.

O truque para memorizar vocabulário mais facilmente é imaginar-se usando uma determinada palavra ou frase em uma situação agradável. Por exemplo, se você quiser aprender a frase Gostaria de sair para tomar uma bebida com a gente? no idioma que você está aprendendo, você pode fazer de conta que está no país que sempre sonhou em visitar, falando o idioma do lugar perfeitamente, cercado por seus novos amigos. Imagine também que você está fazendo esta pergunta a uma pessoa muito charmosa. Assim que você imaginar essa cena, repita em voz alta: “Gostaria de sair para tomar uma bebida com a gente?”.

 

Explore seus 3 tipos de memória

Com frequência, dizemos que temos uma memória visual, auditiva ou cinestésica. Porém, grande parte das pessoas tem uma combinação desses 3 tipos de memória (com, talvez, um tipo predominante). É interessante, então, explorar esses tipos de memória para aprender vocabulário.

Explorar as memórias visual e auditiva

Quando aprendemos uma palavra nova, inventamos e visualizamos uma imagem. Porém, temos também de ouvir a pronúncia e, se possível, ler tal palavra em voz alta. Exploramos, assim, dois tipos distintos de memória, mas intimamente ligados. Os sons e as imagens mentais podem formar uma mistura bastante eficaz para a memorização de novas palavras.

Explorar a memória cinestésica

Passar o vocabulário para o papel: muitas vezes, copiar as palavras e frases que estudamos também ajuda na memorização. Aliás, utilizei este método para aprender a língua espanhola: passei a ler as palavras e frases em voz alta, bem como a copiá-las em um caderno. Vale ressaltar que, para a memória, escrever algo no papel é mais eficaz que digitar através de um teclado. Depois de escrever a palavra aprendida, não somente achei mais fácil lembrá-la, como também sabia a maneira correta de escrevê-la, pois já havia feito isso uma vez.

Movimento: do mesmo modo, quando imaginamos uma cena mental (técnica um pouco mais avançada), você pode até mesmo imitá-la. Isso pode parecer estranho, mas funciona muito bem. Tente! Eu estava cético no início, mas me forcei a praticar a técnica para aprender certas palavras e expressões e consegui memorizar dessa maneira numerosas expressões idiomáticas em inglês (que não são necessariamente fáceis de memorizar). Há até mesmo um usuário do MosaLingua que faz suas sessões de revisão caminhando. Ele me disse que isso funciona muito bem para ele (mas eu não assumo nenhuma responsabilidade sobre possíveis acidentes que este método pode causar  icon wink Comment apprendre du vocabulaire efficacement? Optimisation du cerveau).

Adapte seu ambiente

Escolha os momentos ideais para se dedicar à memorização

O período da manhã é o melhor momento do dia para realizar atividades mentais. Isso porque nosso cérebro está fresco e descansado, o que nos garante melhores resultados. Após um bom café da manhã, podemos memorizar palavras e frases que vamos poder, por exemplo, revisar à noite, antes de dormir. É preciso lembrar de fazer pequenas pausas durante a aprendizagem.

Procure dormir bem

O sono tem um papel importante nos processos mentais, em geral, e na memorização, em especial. O fato de dormir o suficiente, e ter um sono de qualidade, costuma ser subestimado pela maior parte das pessoas. Mas isso pode, realmente, mudar nossa performance durante os estudos. Após uma boa noite, sentimo-nos mais descansados e, consequentemente, mais despertos. Além disso, conforme estudos já comprovaram, durante o sono, nosso cérebro assimila todas as novas informações aprendidas durante o dia. Por essa razão, investir na memorização repetindo as palavras aprendidas antes de dormir é uma excelente ideia.

 

Mude seu estilo de vida e seus hábitos alimentares

Esta parte foi tratada em outro artigo, pois este já está longo e denso. E para integrar todas essas técnicas, é preciso tempo e prática. Mas eu convido você a ler este outro artigo, no qual falamos de outros hábitos que podem colaborar para melhorar sua capacidade de aprendizagem: Os hábitos alimentares e o estilo de vida que você deve adotar para otimizar sua memória.

 

Utilizando o que aprendemos

De nada adianta memorizar milhares de palavras e informações se você não as praticar. A prática não é apenas algo bom para consolidar as informações aprendidas, mas também para a sua motivação. Por isso que, no blog, falo bastante sobre atividades que podemos fazer para praticar a língua que aprendemos. Por exemplo:

Certifique-se de praticar fazendo algo que você gosta! E através da internet, isso fica mais fácil: afinal, você pode praticar sem viajar.

BÔNUS: Como aprender vocabulário rápido

Para concluir, conheça os truques e técnicas usados pela Abbe (nossa professora de inglês) para aprender vocabulário rápido.  Este vídeo reúne algumas das técnicas apresentadas acima. Ele está em inglês, mas oferece legendas em outros idiomas. Você pode escolher entre assistir no YouTube ou diretamente aqui embaixo.

 

Depois, não se esqueça de se inscrever em nosso canal no YouTube para mais vídeos com dicas práticas para a aprendizagem de idiomas.

Espero que você tenha gostado deste artigo, e que ele ajude em sua aprendizagem de línguas! E não hesite em deixar seu comentário abaixo.