O cérebro é uma ferramenta maravilhosa para memorizar. Ele funciona um pouco como um músculo: quanto mais a gente usa, mais forte e ágil ele fica. O inconveniente é que não conseguimos nos lembrar de tudo o que fazemos, vemos, aprendemos… Mas, felizmente, existem alguns truques para nos lembrarmos do mais importante, o que ajuda muito, quando estamos aprendendo um idioma. Dependendo da atividade que realizamos, nós trabalhamos com a aprendizagem ativa ou nossa aprendizagem passiva. Mas e qual é a diferença entre elas e, sobretudo, qual é a mais eficaz? A gente explica!

aprendizagem ativa

 

O que é aprendizagem ativa? O que é aprendizagem passiva?

Aprendizagem passiva

A aprendizagem passiva é aquela realizada por meio da aprendizagem pela leitura ou pela escuta. Por meio dela, você absorve informações sem tê-las usado na prática. Em geral, aqui, estamos falando daquilo de que você se lembra durante um curto período de tempo… assim que você aprende expressões novas ouvindo um podcast, por exemplo. Mesmo sem reler ou ouvir novamente esse conteúdo já em seguida, você vai se lembrar dele até o fim do dia, ou até o dia seguinte. Mas, aos poucos, ele vai desaparecer da sua memória, porque o seu cérebro acaba rejeitando tudo o que ele julga obsoleto e inútil.

Aprendizagem ativa

Já a aprendizagem ativa, como o nome sugere, é aquela que envolve uma ação. Trabalhar sua memória ativa é trabalhar no papel de ator daquilo que você aprende; tentar responder uma pergunta tentando se lembrar da resposta. Usar a memória ativa envolve um trabalho de pesquisa, às vezes, inconsciente, dentro do seu cérebro.

Por exemplo: você usa sua memória ativa quando pratica na frente do espelho ou quando fala o idioma que está aprendendo com um parceiro linguístico. Quando faz isso, você na verdade está reutilizando aquilo que aprendeu. Você, inconscientemente, responde as perguntas: o que eu aprendi ? O que isso significa? Quando posso usar este vocabulário, esta conjugação ou esta regra gramatical?

Vale lembrar que os neurônios desempenham um papel importante tanto na memorização ativa quanto na passiva. Você sabia que os neurônios se formam quando o bebê ainda está na barriga da mãe? E, segundo um estudo conduzido na Universidade de Madrid, em 2019*, eles continuam a se formar ao longo da vida toda.

À medida que aprendemos, vemos coisas novas, retemos informações, nossos neurônios criam ligações entre si. Essas ligações, por sua vez, aumentam nossa capacidade de reter informações e usá-las com mais facilidade.  Em outras palavras: quanto mais você trabalha para aprender vocabulário e para colocá-lo em prática (conversar com alguém, assistir a um filme, ouvir um material em áudio, etc.), mais ligações você cria, e mais facilidade terá para se lembrar do que aprendeu.

Naturalmente, o contrário também é verdadeiro… ou seja: quanto menos você usa um vocabulário que aprendeu, mais rápido vai esquecê-lo.

Qual a diferença entre aprendizagem ativa e aprendizagem passiva?

Dê uma olhada na imagem a seguir. Ela mostra uma figura conhecida como “cone de aprendizagem”, que foi criada pelo educador Edgar Dale, uma referência em matéria de aprendizagem.

piramide dale

 

Ou seja: as lembranças são gravadas no seu cérebro graças à sua memória ativa, que também é responsável por todos os automatismos que você desenvolve. Para manter estes últimos, no entanto, é necessário trabalhar e praticar regular e frequentemente.

Ler mais de uma vez seguida, sublinhar ou simplesmente escutar são métodos que funcionam bem no curso prazo. Entretanto, com o passar do tempo, eles não garantem que você ainda se lembre do que “aprendeu”. Peter C. Brown, autor do livro “Make It Stick!” (“Fixe o conhecimento!”, na tradução em português), afirma nesse livro sobre estratégias de aprendizagem que em pouco tempo nós perdemos 70% do que ouvimos ou lemos. Outros estudos* realizados nos Estados Unidos nos anos 2010 também demonstraram que a aprendizagem ativa (baseada em perguntas / respostas) é a mais eficaz.

Por que a memorização ativa é mais eficaz?

Um estudo sobre a memorização realizado em 2011 dividiu os estudantes participantes em quatro grupos:

  • O primeiro recebeu a tarefa de ler um texto apenas uma vez
  • O segundo devia ler o mesmo artigo quatro vezes seguidas
  • Já o terceiro grupo devia ler uma vez o texto e, em seguida, criar um mapa mental com o conteúdo
  • O quarto, por sua vez, deveria ler o texto uma vez, tentando memorizar o máximo possível.

Os resultados desse estudo mostraram que o quarto grupo não apenas se lembrava melhor das principais ideias do texto, mas também de dados secundários. Este estudo mostra que o fato de nos fazermos perguntas que nos ajudem a fixar um conhecimento (ou seja: testar a nós mesmos) é mais eficaz do que reler repetidas vezes.

Essa estratégia realmente exige mais trabalho, mas sem dúvida ajuda na retenção do conhecimento. Rever informações faz com que as fixemos em nossa memória, o que aumenta nossa capacidade de recuperar esse conhecimento quando precisamos dele. Além disso, se você se faz uma pergunta que não é capaz de responder, se dá conta imediatamente que precisa revisar ou reaprender essa informação específica.

Aprender usando flashcards

Existe um bom método para aprender no longo prazo: os flashcards. Ou seja: cartões em que uma pergunta é feita de um dos lados e a resposta é escrita do outro.

Não ter a resposta imediatamente à vista obriga você a refletir e a ir buscar a informação na sua memória. Desta forma, você aprende de maneira bem mais eficaz do que quando usa apenas a aprendizagem passiva, mesmo quando se trata de memorizar informações difíceis.

Os aplicativos MosaLingua usam justamente este sistema de flashcards. Depois que você confere se sua resposta estava certa ou não, o app pede que você avalie seu grau de domínio sobre o que aprendeu.

Você pode escolher entre “Perfeito”, se conhece a expressão proposta na ponta da língua; “Bom”, se ela lhe veio à mente relativamente rápido; “Difícil”, se teve que se esforçar para se lembrar dela; ou “Rever”, se simplesmente não se lembrou. Em função da sua resposta, o app vai propor a revisão de cada flaschard no momento ideal para vencer a curva do esquecimento e otimizar sua memorização.

Revise usando o Sistema de Repetição Espaçada (SRS)

aprendizagem ativa é baseada no Sistema de Repetição Espaçada (SRS), um método que permite revisar eficazmente e gravar o vocabulário aprendido na sua memória de longo prazo. Os aplicativos dotados desse sistema, como é o caso dos apps MosaLingua, programam suas revisões de acordo com seu nível de domínio de cada expressão. A vantagem desse sistema é justamente o fato de que ele torna a aprendizagem mais fácil.

Conclusão

Depois de aprender expressões novas, comece a usá-las nas mais diferentes situações práticas. Varie suas atividades de aprendizagem e, sobretudo, divirta-se! Porque, se  a aprendizagem ativa é mais eficaz, a aprendizagem passiva é um bom complemento.

*Fontes: estudo realizado em 2019estudo realizado em 2011 / estudo realizado em 2010 / estudo realizado em 2013